ah! finalmente flor capuchinha

Após sementes e sementes jogadas nos vasos das árvores…

lutadoras contra intempéries dos predadores, calor…

alguns rebentos vingaram…

foi pessegueiro premiado com a primeira flor vencedora, com todo seu esplendor.

sol e humidade q.b. é o que pude observar….

pois o resto…

bem como a minha varanda está quase em auto regulação, pouco intervenho, logo pouco sei dizer, como favorecer  o desenvolvimento das capuchinhas, ou chagas….

para comunidade cientifica…as Tropaeolum majus!

falando delas, são multifacetadas, tanto medicinal como culinária….

da flor dizem maravilhas…mas como era a primeira, deliciei-me só de olhar.

 

Dar Banho às Plantas

Dar banho às plantas, soa estranho certo?

 

Sosseguem não é preciso champô, gel de duche…

 

As plantas agradecem não só pela água na raiz mas também pela estrutura toda, ainda mais as plantas urbanas que estão sujeitas a menos humidade, mais sujidade (seja da vizinha que sacode os tapetes de cima, seja da poluição), como diminui algumas pragas.

 

Mas temos que ter atenção o tipo de plantas, nem todas gostam de banho, vulgarmente conseguimos ver são as que têm folhas felpudas (é assim que geralmente me guio) mas não só. Por isso é importante sabermos o pouco mais sobre as plantas que temos.

 

Eu gosto em especial de lhes dar banho, às árvores em especial, que tenho na varanda, nos dias de chuva.

 

Porque :

- permite secarem sem haver problema de manchas de queimaduras, causadas pelo sol. Ah pois é, as gotas ao sol funcionam como uma lupa.

 

- secam lentamente, em ambiente húmido, diminuído a rápida evaporação e deixarem presença de resíduos da própria água. (pois para quem só têm água del cano, pode acontecer, especialmente se for de uma zona calcária)

 

- imitamos o que está acontecer na natureza, naquele dia.

 

O que faço é simples, encho meu pulverizador a pressão com água, regulo abertura para um modo intermédio (de forma a intensidade não ser muito forte, para não ferir as folhas frágeis, nem muito fraca, para lavar bem as folhas das árvores) e lavo cada planta, como se tivessem debaixo da chuva , durante um bom bocado.

 

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

1ª colheita Favas

Após serem plantadas no final do ano passado, por experiência, espalhei algumas sementes de favas, por todos os vasos, a ideia principal era meramente para adubar a terra.

Mas têm estado a correr tão bem, que acabei por ve-las a crescer, der flor, ser polinizadas, ganhar bainhas, esperar pacientemente e hoje fiz a primeira colheita.

Soube muito bem, pois foi transformado no meu almoço, directamente do vaso para o prato!

Aprendi, que a planta da Fava:

- é  resistente;

- desenvolve-se bem num vaso com 20cm de altura;

- precisa de bastante água;

- as maiores bainhas de favas são aquelas que apanham mais sol;

Quando as plantei, plantei juntamente várias plantas para fazer uma cobertura verde, o que não incomodou as favas, pelo contrario até ajudou a manter a superfície mais húmida, visto que precisam de muita água, em especial quando têm as bainhas a formar, apesar, de que a minha mãe disse, que não se devia por nessa altura muita água, porque criaria mais rama, que bainha…o certo é que como estamos atravessar um período de grande seca, só agora é que se sente mais chuva, tive que rega-las  dia sim dia não….e tive quase quase a perde-las…mas resistiram e tenho favas.

Curioso foi também a reacção das pessoas, que conhecem a planta, verem as bainhas penduradas, num beiral de uma varanda…

Bem resumindo favas em vaso na varanda, é possível :)

Este slideshow necessita de JavaScript.

lentilhas: ponto situação março

As lentilhas estão um pouco maiores, crescem mais lento que as favas ( essas que dominam o espaço aéreo da varanda) mas são resistentes.

Por ter as plantados em quase todos os vasos que tinha disponíveis, juntamente com outras plantas e árvores, foi curioso poder ver a reacção e efeito delas em diferentes situações, tirando as primeiras ideias:

- com exposição solar intensa acabam por secar mais rapidamente, gostam de alguma sombra parcial.

- muito juntas quando pequenas crescem mais rápido, mantendo o solo mais fresco, reduzindo a evaporação rápida da água, mas depois atingem um ponto de pausa, saturação de espaço.

- quando as plantas são dispostas sozinhas, junto das favas ou outras plantas, não se desenvolvem, preferem alguma companhia das mesmas plantas.

- junto das árvores são uma combinação de ouro, quanto mais quantidade forem, mais rapidamente reage a árvore em vaso. Mantêm humidade, cobrido a superfície exposta do vaso e fornecem azoto, como têm uma raiz pequena, não entram em competição muito agressiva.

Conclusão por agora….lentilhas com elas nas árvores, mas dosear a quantidade, nem muito nem poucas e sombra parcial.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Abelhas na varanda

Desde que as favas, amendoeira e recentemente a nectarina, como plantas selvagens na varanda, floresceram…que tenho visitas regulares, sejam de pequenos a grandes voadores.

Quem de manha, marca sempre o ponto antes do meio dia é um Abelhão preto, grande, peludo e com asas num tom azul metalizado.

Passeia pelas flores das favas com mais insistência, depois lá saltita pelas últimas flores da amendoeira e depois vai pesquisar as flores da nectarina. Acho que é Bombus atratus mas não tenho certeza.

O certo é que faz frente à minha gata, como quase assisti a um duelo. Mas chamei-a para não perturbar o trabalho dele, e prevenir uma ferroada… é também um pouco trapalhão a poisar e quase que parece que não aguenta o peso dele.

Outra visita que costuma vir mais pela parte da tarde e adora visitar a nectarina, é outro Abelhão (Bombus Terretris)  com riscas amarelas e cinzentas, grande e peluda também.

Vêm sempre carregado de duas bolsas de polém nas patas traseiras. É mais cauteloso e mais agil quando procura as flores.

Mais sobre ele ver  http://en.wikipedia.org/wiki/Bombus_terrestris

Recentemente apareceu nas flores da laranjeira, uma abelha mais pequena, e cheia de destreza…só a consegui apanhar de surra! E costas voltadas para mim, não consegui vê-la muito bem, mas parecia ser uma Apis mellifera, a Abelha europeia.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Apis_mellifera

Noto que cada dia que passa vai chegando mais vida.

Recém chegadas árvores

 

Numa ida a uma superfície comercial, vi duas árvores, jogadas entre multidão delas…

 

Uma nectarina, a única carregada em flor….cor de rosa suave, entre ramos despidos.

 

Uma figueira com uma figo pequeno aconchegado a 2 folhas a crescer.

 

Não resisti, e trouxe-as…com sentimento, de tenho que lhes dar hipótese de viver, já que conseguiram neste ambiente hostil, mostrarem que estão vivas, ao contrario de muitas outras, que chegam a estes locais, em mau estado, quase secas, sabe-se lá de onde vêm.

 

Por agora estão na marquise, para adaptarem-se à mudança para exterior.

 

Estão a reagir bem, a crescer dia após dia.

 

Sei que nesta fase, quando estão em flor, não deveria transplantar, mas vou tentar em lua crescente.

Pode ser que ajude a recuperar da transição.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

A primeira flor

A minha amendoeira,  ao longo dos ultimo tempos, foi sempre muito difícil de perceber … ou eu é que precisava de aprender…porque ter uma árvore numa varanda em vaso, logo percebi que requer cuidados diferentes … mas no fundo o principio é todo o mesmo … alimentar e criar as condições ideiais, mas importante também deixa-la adptar ao local onde estar.

E agora tá cheia de vida.

Obrigada Permacultura por me mostrares a importância disso.

Primeira flor amendoeira do ano